domingo, 9 de abril de 2017

VIÑALES VENCEU MUNDIAL DE MOTOVELOCIDADE, ROSSI FICOU NA SEGUNDA POSIÇÃO NO GP DA ARGENTINA.

                                                                             
   

A Movistar Yamaha MotoGP está em festa. Os dois pilotos da equipe garantiram as primeiras colocações no Grande Prêmio Motul da Argentina, prova realizada na tarde deste domingo (9) no circuito Termas de Rio Hondo. Maverick VIÑALES (#25) foi o grande vencedor da corrida, que marca a 2ª etapa do MotoGP. Com o resultado, o espanhol segue líder absoluto no Mundial com duas vitórias consecutivas. A segunda posição foi para o italiano Valentino ROSSI (#46), que confirmou a dobradinha da escuderia japonesa.
                                                                      

Mas este excelente e inesperado resultado da Yamaha no GP da Argentina passou por uma série de eventos até culminar nos dois pilotos no alto do pódio. A primeira dúvida era o clima. A chuva, que marcou presença nos treinos classificatórios, deu uma trégua e a prova foi realizada com o asfalto seco. Já a maior dificuldade seria mesmo na pista: vencer o atual campeão Marc MARQUEZ (#93), da equipe Repsol Honda Team, que havia feito a pole position e estava voando baixo no circuito argentino.
                                                                    
Exatamente às 16h da tarde nublada deste domingo, os pilotos iniciaram a disputa por pontos importantes no classificatório geral. O atual líder do campeonato, Marc Marquez, largou bem e disparou na ponta. Cal CRUTCHLOW (#35), da equipe LCR Honda, pulou para a vice-liderança e a dupla da Yamaha ganhou três posições, ficando Viñales em terceiro e Rossi em quarto.

Tudo parecia favorável à equipe Honda. Com um excelente acerto na moto, Marquez, já na segunda volta, abria dois segundos de vantagem para os adversários. Confiante e acelerando tudo o que podia, o espanhol abriu a terceira volta e, ao entrar na Curva 2, perdeu o controle da moto e passou reto na curva, indo parar somente nas britas da área de escape. Fim de prova para o campeão mundial.
                                                                         
 
Com Marquez fora da disputa, Viñales saltou para a liderança e Rossi, para a terceira posição. Mas entre o italiano heptacampeão da MotoGP e o ponteiro havia a presença de Cal CRUTCHLOW (#35), da equipe LCR Honda. Neste momento iniciou uma longa perseguição de Rossi ao britânico, que perdurou por cerca de 15 voltas. Com paciência, Rossi esperou o momento certo e, restando sete voltas para o fim da prova, fez uma ultrapassagem limpa que foi correspondida pelo forte aplauso da torcida argentina.
                                                                           

Sem forças para dar o troco e retomar a vice-liderança, Cal Crutchlow se manteve na terceira posição e viu Rossi abrir uma pequena vantagem. A confirmação do excelente desempenho da equipe Yamaha veio na sequência. Viñales manteve uma regularidade impressionante, variando apenas dois décimos de segundo por volta. Após 41 minutos e 45 segundos de corrida, o espanhol recebeu a bandeirada e comemorou sua segunda vitória na temporada. Rossi faturou a segunda posição, logo à frente de Crutchlow em terceiro. Seguindo a classificação final do pódio, Alvaro BAUTISTA (#19), da equipe Pull&Bear Aspar Team, foi o quarto colocado e Johann ZARCO (#5), da Monster Yamaha Tech 3, o quinto.
                                                                            

Mas se para a Yamaha a rodada da Argentina foi sinônimo de comemoração, para a Honda foi um desastre completo. Após o abandono de Marquez nas primeiras voltas, a Curva 2 decretaria o fim da participação da equipe Repsol nesta etapa do Mundial. Restando 12 voltas para o fim da prova, Dani PEDROSA (#26) replicou a queda do colega a saiu da pista quase que da mesma forma, parando somente nas britas. Fim de corrida para Pedrosa.

Outros incidentes também marcaram a disputa do GP da Argentina. Jorge LORENZO (#99), da equipe Ducati Team, foi o primeiro a abandonar a prova ao cair logo na Curva 1 da primeira volta. Alex RINS (#42), da Team SUZUKI ECSTAR, entrou na lista dos abandonos, assim como Andrea DOVIZIOSO (#4), da Ducati Team, e Aleix ESPARGARO (#41), da Aprilia Racing Team Gresini, que se envolveram num acidente restando 11 voltas para a bandeirada.

Texto:  Eduardo Coutelle | Fotos: Gilmar Rose - VGCOM 

Confira abaixo a classificação final com os 10 primeiros colocados da categoria MotoGP no Grande Prêmio Motul da Argentina:

1º - Maverick VIÑALES (#25), da Movistar Yamaha MotoGP

2º - Valentino ROSSI (#46), da Movistar Yamaha MotoGP

3º - Cal CRUTCHLOW (#35), da LCR Honda

4º - Alvaro BAUTISTA (#19), da Pull&Bear Aspar Team

5º - Johann ZARCO (#5), da Monster Yamaha Tech 3

6º - Jonas FOLGER (#94), da Monster Yamaha Tech 3

7º - Danilo PETRUCCI (#9), da OCTO Pramac Racing

8º - Scott REDDING (#45), da OCTO Pramac Racing

9º - Jack MILLER (#43), da EG 0,0 Marc VDS

10º - Karel ABRAHAM (#17), da Pull&Bear Aspar Team



Sem cometer erros, Franco Morbidelli vence GP da Argentina pela categoria Moto2
                                                                        

Com um desempenho constante e sem cometer erros, Franco MORBIDELLI (#21), da equipe EG 0,0 Marc VDS, foi o vencedor do Grande Prêmio Motul da Argentina pela categoria Moto2, em prova realizada na tarde deste domingo (9) no Circuito de Termas de Rio Hondo. O italiano largou bem e já nas primeiras curvas tomou a dianteira de Miguel OLIVEIRA (#44), da Red Bull KTM Ajo, piloto que havia feito a pole. A partir deste momento, iniciou o comando da prova, tendo seu companheiro de equipe, Alex MARQUEZ (#73), logo atrás, na segunda posição.

A dupla da EG 0,0 Marc VDS imprimiu um ritmo intenso e começou a abrir vantagem para os oponentes. O único piloto que conseguiu acompanhá-los foi o português Oliveira, que tentava reduzir a diferença para os ponteiros.

As voltas iniciais também foram marcadas por uma porção de incidente. Ainda na largada, Remy GARDNER (#87), da equipe Tech 3 Racing, e Takaaki NAKAGAMI (#30), da IDEMITSU Honda Team Asia, acabaram se tocando e os dois foram parar no chão na Curva 1. Em seguida foi a vez dos pilotos Fabio QUARTARARO (#40), da equipe Pons HP40, e Axel PONS (#49), da RW Racing GP, se envolverem num acidente, marcando fim de prova para os dois. Mas a queda mais feia foi a de Xavier SIMEON (#19), da Tasca Racing Scuderia Moto2. O piloto saiu da pista em alta velocidade e precisou receber atendimento médico devido a uma pancada forte na cabeça.

De volta às disputas por posições, Morbidelli e Marquez mantiveram um ritmo intenso ao longo de toda a corrida e ocuparam as duas primeiras posições até a volta final. Miguel Oliveira tentou uma reação e conseguiu tirar alguns décimos dos ponteiros, mas não o suficiente para buscar a ultrapassagem. Com isso, o resultado parecia definido. Porém, a volta decisiva trouxe surpresas. Marquez conseguiu se aproximar bastante do líder e chegou a assumir temporariamente a ponta, perdendo a posição logo em seguida.

Porém, um incidente acabou modificando completamente essa história e criando um novo final para o GP da Argentina. Marquez cometeu um erro, perdeu o controle da moto e acabou sofrendo uma queda restando poucas curvas o fim da prova. Com isso, seu companheiro, Franco Morbidelli recebeu a bandeirada em primeiro e Miguel Oliveira herdou a vice-liderança da corrida.

O abandono de Marquez modificou todas as posições seguintes. Thomas LUTHI (#12), da equipe CarXpert Interwetten, saltou para a terceira posição, e encerrou a prova logo à frente de Lorenzo BALDASSARRI (#7), da Forward Racing Team, em quarto, e de Xavi VIERGE (#97), da Tech 3 Racing, em quinto.

Texto:  Eduardo Coutelle | Fotos: Gilmar Rose - VGCOM 

Confira abaixo a classificação final com os 10 primeiros colocados da categoria Moto2 no Grande Prêmio Motul da Argentina:

1º - Franco MORBIDELLI (#21), da EG 0,0 Marc VDS

2º - Miguel OLIVEIRA (#44), da Red Bull KTM Ajo

3º - Thomas LUTHI (#12), da CarXpert Interwetten

4º - Lorenzo BALDASSARRI (#7), da Forward Racing Team

5º - Xavi VIERGE (#97), da Tech 3 Racing

6º - Simone CORSI (#24), da Speed Up Racing

7º - Francesco BAGNAIA (#42), da SKY Racing Team VR46

8º - Sandro CORTESE (#11), da Dynavolt Intact GP

9º - Brad BINDER (#41), da Red Bull KTM Ajo

10º - Hafizh SYAHRIN (#55), da Petronas Raceline Malaysia



Joan Mir faz uma corrida brilhante e vence GP da Argentina pela Moto3
                                                                           

Joan MIR (#36), da equipe Leopard Racing, realizou uma prova impecável, na tarde deste domingo (9), e venceu Grande Prêmio Motul da Argentina pela categoria Moto3. O piloto espanhol enfrentou a dura missão de precisar fazer uma corrida de recuperação e, principalmente, defender a sua liderança dos incontáveis ataques dos adversários. O atual líder do campeonato largou da 16ª marca no grid e não tardou para assumir a dianteira. Restando 15 voltas para o encerramento, já puxava o pelotão dos ponteiros no Circuito de Termas de Rio Hondo.

Em uma prova marcada pela forte disputa e pela troca contínua de posições, somente a partir da segunda metade da corrida foi possível vislumbrar os possíveis vencedores. Um pelotão formado por Joan Mir, Jorge MARTIN (#88), da equipe Del Conca Gresini Moto3, Philipp OETTL (#65), da Südmetall Schedl GP Racing, John MCPHEE (#17), da British Talent Team, e Andrea MIGNO (#16), da SKY Racing Team VR46, abriu pouco mais de dois segundos de vantagem para os demais adversários e iniciou a briga final pela vitória.

Joan Mir e John McPhee foram os dois pilotos que protagonizaram as principais disputas pela ponta. Em uma delas, o britânico mudou o seu traçado e forçou um erro do atual líder do campeonato, que acabou embarrigando uma curva e caindo para a quarta posição. Porém, na volta seguinte Mir já havia assumido a dianteira novamente. Essa disputa seguiu até as últimas curvas da volta final. Em sua derradeira tentativa, McPhee forçou mais uma vez a ultrapassagem, mas, além de não conseguir tomar a ponta ainda quase perdeu a vice-liderança.

Com uma diferença mínima entre os adversários, Joan Mir cruzou a linha de chegada em primeiro, seguido por McPhee em segundo. Jorge Martin foi o terceiro a receber a bandeirada, logo à frente de Philipp Oettl em quarto e de Andrea Migno na quinta posição.

Além destes embates na pista, alguns pilotos acabaram se despedindo da corrida mais cedo. O argentino Gabriel RODRIGO (#19), da equipe RBA BOE Racing Team, frustrou a torcida local ao sofrer uma queda na Curva2 ainda na primeira metade da prova. Os italianos Lorenzo DALLA PORTA (#48), da MAHINDRA MOTARD Aspar, e Fabio DI GIANNANTONIO (#21), da Del Conca Gresini Moto3, também abandonaram a corrida.

Texto:  Eduardo Coutelle | Fotos: Gilmar Rose - VGCOM 

Confira abaixo a classificação final com os 10 primeiros colocados da categoria Moto3 no Grande Prêmio Motul da Argentina:

1º - Joan MIR (#36), da Leopard Racing

2º - John MCPHEE (#17), da British Talent Team

3º - Jorge MARTIN (#88), da Del Conca Gresini Moto3

4º - Philipp OETTL (#65), da Südmetall Schedl GP Racing

5º - Andrea MIGNO (#16), da SKY Racing Team VR46

6º - Livio LOI (#11), da Leopard Racing

7º - Romano FENATI (#5), da Marinelli Rivacold Snipers

8º - Tatsuki SUZUKI (#24), da SIC58 Squadra Corse

9º - Juanfran GUEVARA (#58), da RBA BOE Racing Team

10º - Kaito TOBA (#27), da Honda Team Asia

 Texto:  Eduardo Coutelle | Fotos: Gilmar Rose - VGCOM 

Nos acompanhe nas redes sociais:

Facebook VGCOM: facebook.com/vgcom1

Instagram VGCOM: instagram.com/vgcombr

Facebook Fala Piloto: facebook.com/falapiloto

Instagram Fala Piloto: instagram.com/falapiloto


Nenhum comentário: