segunda-feira, 15 de maio de 2017

KAWASAKI LEVA DOIS PÓDIOS DO MUNDIAL DA ITÁLIA DE MOTOVELOCIDADE.



Etapa muito disputada no Mundial, Kawasaki trás da Itália dois segundos lugares.
                                                                    

 A rodada da Itália marcou o maior desafio da Kawasaki Racing Team nesta temporada do Mundial de SuperBike e a escudeira japonesa deixou o Autódromo Enzo e Dino Ferrari, localizado na cidade de Ímola, sem vitórias. Após um excelente resultado na Holanda – com duas dobradinhas nas primeiras posições –, a KRT não conseguiu repetir o feito na 5ª etapa do campeonato, realizada neste final de semana, porém, manteve a liderança no classificatório geral, tanto na disputa de pilotos como na de fabricantes. O atual campeão, Jonathan Rea (#1), somou dois segundos lugares e seu companheiro de equipe, Tom Sykes (#66), encerrou a rodada com um 4º e um 3º lugares.
                                                                          

Com estes resultados, Rea mantém a liderança isolada na tabela classificatória com 235 pontos conquistados. Já Sykes, caiu para a terceira posição e agora soma 160 pontos, apenas um atrás de Chaz Davies, da Ducati, piloto que venceu as duas baterias na rodada da Itália. Enquanto isso, na disputa entre fabricantes, a Kawasaki segue na ponta na briga pelo título do Mundial. A KRT soma 235 pontos no campeonato e sustenta a dianteira com uma folga de 32 pontos para o vice-líder.
                                                                        

Pela primeira vez neste ano, os pilotos da Kawasaki não subiram no degrau mais alto do pódio. Em busca de uma configuração ideal da Ninja ZX-10RR para o Circuito de Ímola, com seus 4.936 metros de extensão, Jonathan Rea e Tom Sykes iniciaram a etapa diferentemente das rodadas anteriores. Com um ritmo um pouco menos intenso, a pole position acabou escapando e Sykes ficou com a segunda posição no grid de largada e Rea completou a primeira fila na terceira posição.
                                                                        

A primeira bateria, disputada no sábado (13), foi a mais complicada para a equipe Kawasaki. Com dificuldades para encontrar o melhor acerto da moto, os pilotos da escudeira japonesa não conseguiram acompanhar o ritmo de Chaz Davies, que dominou a corrida. Rea assumiu a vice-liderança da prova na quarta volta ao ultrapassar Marco Melandri, da Ducati. Apesar disso, o atual campeão não foi capaz de se aproximar do ponteiro e recebeu a bandeirada em segundo, com pouco mais de sete segundos de desvantagem para o líder. Já Tom Sykes perdeu duas posições ainda na primeira volta e manteve o quarto lugar por toda a prova.
                                                              

Após as dificuldades iniciais, a Kawasaki voltou mais forte para a segunda corrida, esta realizada no domingo (14). Tom Sykes teve um excelente início de prova e saltou para a ponta logo após a largada. O piloto britânico sustentou a posição até a sexta volta, quando foi ultrapassado por Davies. Na última parte da corrida, Jonathan Rea tomou a vice-liderança e os dois companheiros de equipe partiram em busca do adversário da Ducati que vinha na ponta. Com um ritmo bem melhor em relação ao da prova anterior, Rea baixou para pouco mais de três segundos a diferença do ponteiro e novamente recebeu a bandeirada em segundo lugar. Já Sykes assegurou um lugar no pódio e obteve a terceira colocação.

Apesar das dificuldades encontradas na etapa da Itália, Jonathan Rea comemorou os 40 pontos conquistados:

“A segunda corrida foi especialmente difícil para mim porque acabei cometendo um erro de traçado. Perdi todas as posições que ganhei nas primeiras curvas e isso mudou completamente minha corrida. Sinto que se não tivesse perdido aquelas posições as coisas seriam diferentes. Talvez não ganhasse a prova, mas com certeza acompanharia o Chaz [Davies] na dianteira. Com isso, acabei ficando preso atrás de um trânsito de pilotos, e quando passei fui capaz de manter um ritmo consistente. Eu vinha muito longe do Chaz, porém, hoje reduzimos para a metade a margem de vitória dele em comparação com a de ontem [sábado, 13, na primeira corrida]. Corri com um novo protótipo de pneu dianteiro e nestas temperaturas acho que talvez fosse uma opção muito macia para esta corrida. Mas estou contente em ter aumentado a liderança do campeonato, ter ganhado 40 pontos e subido no pódio as duas vezes no que provavelmente não foi nosso melhor resultado até agora”, declarou Rea.

Já Tom Sykes avaliou como positiva a sua segunda corrida no Circuito de Ímola:

“Tivemos um bom começo na segunda corrida e eu sabia que esta era uma das oportunidades que teria. Sabia também que o Chaz vinha numa velocidade incrível e que Jonathan [Rea] também teria um ritmo bom. Finalmente, Jonathan e eu estávamos bem igualados em tempos de volta. Havia duas áreas da pista onde eu não conseguia realizar bem o meu estilo habitual de pilotagem. Chaz deu outro passo importante hoje [domingo, 14], mas nós ficamos um grande passo à frente dos demais pilotos. Melhoramos o set-up da moto e o terceiro lugar foi, provavelmente, o nosso melhor resultado possível”, comentou Sykes.

Agora o Mundial de SuperBike parte para a sua 6ª rodada, prova que será realizada na Inglaterra, no circuito de Donington Park, nos dias 26, 27 e 28 de maio. 

Mais inf:
VGCOM - VANESSA GIANNELLINI COMUNICAÇÃO
Postar um comentário