segunda-feira, 20 de novembro de 2017

STOCK CAR : DANIEL SERRA E ÁTILA ABREU VENCEM EM GOIÂNIA COM ÓTIMA ESTRATÉGIA

Palco de grandes disputas, Goiânia 500 tem vitórias de Daniel Serra e Átila Abreu.


Piloto da Eurofarma-RC aumenta sua vantagem de 10 para 19 pontos em relação a Thiago Camilo, enquanto Átila Abreu declara amor à pista da capital goiana. Sensação da penúltima etapa, português António Félix da Costa dá à Hero seu primeiro pódio na Stock Car.
                                                                   
Mais potentes e agressivos, os carros da Stock Car deram um show de ultrapassagens e disputas na 11ª e penúltima etapa da temporada, a Goiânia 500 – em referência ao aumento de potência dos motores V8 para 500 cavalos – empolgou o público que lotou as arquibancadas e camarotes do Autódromo Internacional Ayrton Senna na capital goiana. As vitórias nas duas provas ficaram com Daniel Serra, que aumenta sua margem na liderança do campeonato, e Átila Abreu, o terceiro na tabela de pontuação.
                                                                       
O piloto que se destacou em todos os treinos também deixou sua marca na primeira corrida. O português António Félix da Costa, substituto de Alberto Valério na equipe HERO Motorsports, largou em sexto, mostrou extrema competência e terminou a primeira corrida na terceira posição, garantindo ao time seu primeiro pódio na Stock Car. Na disputa inicial, Ricardo Zonta bem que tentou tomar a ponta de Serra, mas teve de se contentar com o segundo lugar.
                                                                    

Com os dez primeiros colocados em ordem inversa no grid da prova 2, Átila Abreu usou de estratégia parecida com a que garantiu a Daniel a vitória na disputa anterior. O piloto da Shell Racing foi escoltado no pódio por Max Wilson e pelo pentacampeão Cacá Bueno.
                                                                    
Na tabela, Serra soma agora 325 pontos, contra 306 de Thiago Camilo. Átila soma 254, diante de 236 de Max e 22 de Fraga. Cacá é o sexto com 215, cinco a mais que Rubens Barrichello, o sétimo. Marcos  Gomes, com 198, Ricardo Maurício com 181, e Gabriel Casagrande, com 176, fecham os dez melhores do campeonato antes da finalíssima que acontece no dia 10 de dezembro em Interlagos.
                                                                         
PRIMEIRA CORRIDA
Com nuvens fechando praticamente todo o Planalto Central, a Goiânia 500 começou com ameaça de chuva, que acabou não se concretizando. Com pista seca, a disputa começou quente: já na primeira volta escaparam da pista Antonio Pizzonia, Tuka Rocha, Allam Khodair, Márcio Campos, Cacá Bueno e Felipe Lappena. Na frente, Daniel Serra manteve a ponta enquanto Marcos Gomes perdia três posições – para Ricardo Maurício, Thiago Camilo e Ricardo Zonta.
                                                                        
Logo depois, o piloto da Shell Racing ultrapassou o representante da Ipiranga e, com o furo de pneu que tirou Ricardo Maurício da primeira prova, ficou em segundo lugar. O português António Félix da Costa empolgava o público presente ao também escalar o pelotão até chegar em terceiro, bem próximo dos dois líderes após os pit stops.
                                                                      
A entrada do carro de segurança na 21ª volta agrupou o grid e deixou aberta, entre os três primeiros colocados, a disputa pela vitória. Contudo, Serra defendeu-se bem dos ataques de Zonta, que também era assediado por da Costa, e na bandeira quadriculada as posições se mantiveram.
“O final foi bem difícil. Consegui abrir no começo, em um ritmo bem puxado, mas depois foi complicado para segurar. Felizmente deu tudo certo e o carro estava muito bom”, destacou Daniel Serra, que conquistou sua quarta vitória na temporada.

Para Zonta, o ritmo da prova foi bem forte do início ao fim. “Posso dizer que foi uma corrida bem puxada. A gente teve um superaquecimento dos pneus, e com isso perdi um pouco da aderência no carro. Meu pit stop foi bem rápido, a gente arriscou tudo no momento, e no final tentamos apertar um pouco mais, mas o Daniel está com um carro também muito bom”, afirmou o paranaense.

O representante luso gostou do que viu e viveu na pista na primeira corrida. “A disputa foi muito boa. O carro estava bem competitivo. Apesar de não ter ido mais para frente, foi uma boa experiência. Dei algumas erradas em momentos críticos, porque eu tentei economizar o máximo de push em relação aos outros caras, e quando era para eu usar cometi alguns erros, por isso não deu para passar o Zonta. Mas está bom. Aprendi muito nessa corrida”, disse. O piloto do carro #444 chegou a ter uma disputa mais acirrada ao se defender de Marcos Gomes. Ambos chegaram a se tocar na pista. “O Gomes me deu um toque na saída da curva 1, e por isso ele teve a oportunidade de colocar do meu lado e depois fui me defender. No entanto, eu gostaria de rever o lance em vídeo para emitir qualquer julgamento”, ressaltou.

Marcos Gomes, Denis Navarro, Vitor Genz, Max Wilson, Thiago Camilo, Rubens Barrichello e Átila Abreu fecharam os dez primeiros que largariam em ordem inversa na segunda corrida.

Resultado Corrida 1*:
1. 29 Daniel Serra (Eurofarma RC) - 28 voltas em 42min21s479
2. 10 Ricardo Zonta (Shell Racing) - a 1.021
3. 444 Felix da Costa (Hero Motorsport) - a 2.154
4. 80 Marcos Gomes (Cimed Racing) - a 2.638
5. 5 Denis Navarro (Cimed Racing Team) - a 5.484
6. 46 Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team) - a 5.955
7. 65 Max Wilson (RCM Motorsport) - a 6.897
8. 21 Thiago Camilo (Ipiranga Racing) - a 7.681
9. 111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) - a 8.750
10. 51 Átila Abreu (Shell Racing) - a 9.256
11. 83 Gabriel Casagrande (Vogel Motorsport) - a 9.888
12. 28 Galid Osman (Ipiranga Racing) - a 10.712
13. 0 Cacá Bueno (Cimed Racing) - a 11.009
14. 70 Diego Nunes (Hero Motorsport) - a 11.048
15. 18 Allam Khodair (Full Time Sports) - a 16.513
16. 77 Valdeno Brito (Eisenbahn Racing Team) - a 19.125
17. 117 Guilherme Salas (Vogel Motorsport) - a 19.298
18. 3 Bia Figueiredo (Full Time Academy) - a 23.663
19. 8 Rafael Suzuki (Cavaleiro Sports) - a 48.873
20. 555 Renato Braga (Mico's Racing) - a 1 volta
21. 40 Felipe Fraga (Cimed Racing Team) - a 2 voltas
NÃO COMPLETARAM (75% da distância de prova)
22. 4 Julio Campos (Prati-Donaduzzi Racing) - a 8 voltas
23. 188 Beto Monteiro (Mico's Racing) - a 9 voltas
24. 12 Lucas Foresti (Full Time Academy) - a 10 voltas
25. 31 Marcio Campos (Blau Motorsport) - a 12 voltas
26. 90 Ricardo Mauricio (Eurofarma RC) - a 15 voltas
27. 73 Sergio Jimenez (Bardahl Hot Car) - a 15 voltas
28. 30 Cesar Ramos (Blau Motorsport) - a 19 voltas
29. 1 Antonio Pizzonia (Prati-Donaduzzi Racing) - a 20 voltas
30. 9 Guga Lima (Bardahl Hot Car) - a 21 voltas
31. 110 Felipe Lapenna (Cavaleiro Sports) - a 27 voltas
32. 25 Tuka Rocha (RCM Motorsport) - a 28 voltas
MELHOR VOLTA: Daniel Serra, 1min25s242
*Resultados sujeitos a verificações técnicas e desportivas

SEGUNDA CORRIDA
A segunda disputa do domingo em Goiânia teve largada tão disputada quanto a primeira, mas todos mantiveram-se na pista. Na segunda volta, Félix da Costa escapou da pista após um toque e teve de abandonar a corrida final do dia. O luso foi o mais votado, à frente de Rubens Barrichello e Bia Figueiredo, os três que foram agraciados com o Hero Push e ganharam, assim, a chance de ter um acionamento extra do botão de ultrapassagem. Da Costa, no entanto, sequer teve a chance de poder usá-lo.

“Na largada aconteceu que o (Denis) Navarro soltou o freio e veio se apoiando na minha porta, mas ainda deu para continuar. Na segunda volta foi igual: eu freei tarde, ele soltou o freio e veio se apoiar em mim. Eu consegui tracionar, e quando voltei levei outra batida. Então não teve jeito, fui para a grama, danificou muito o carro. Foi uma pena, porque ia ser muito divertido”, explicou o português. 

Mesmo assim, o piloto da Hero mostrou-se feliz com o convite e o desempenho apresentado. “Primeira vez como piloto titular, fiquei muito contente. Analisando a corrida toda, eu poderia ter feito muita coisa diferente para ajudar no resultado da corrida 1, e fui pego de surpresa por alguns fatores. É a diferença que a experiência faz, porque estes caras estão aqui há muitos anos. A Stock Car tem alguns detalhes de regulamento que preciso entender melhor ainda. De qualquer forma, fiquei muito contente de poder dar à Hero o primeiro pódio deles. Agradeço pelo convite, à Full Time, ao Maurício (Ferreira)  por me receberem mais uma vez tão bem, e vamos ver o que o futuro nos trará”, concluiu.

A briga pela vitória seguida aberta, e dependeria, também, da estratégia individual de parada nos boxes. Quem havia abastecido na primeira prova, faria apenas um pit stop rápido. Nos boxes, Thiago Camilo quase tomou a ponta de Átila, mas o sorocabano conseguiu sair à frente; quando deixavam os boxes, Max Wilson conseguiu colocar-se entre os dois e assumir o segundo lugar. 

A estratégia de Rubens Barrichello, por exemplo, foi parar no último momento possível da janela de pit stops. Voltou em terceiro, mas depois começou a perder posições até, no final da corrida, tocar no carro de Marcos Gomes. Ambos saíram da pista, e o campeão de 2014 acabou punido com o acréscimo de 20 segundos a seu tempo de prova, o que relegou o piloto da Full Time ao 17º lugar.

Em terceiro, Cacá Bueno passou a pressionar Max Wilson, e na bandeirada os dois cruzaram a linha de chegada separados por apenas 112 milésimos de segundo. Para Átila Abreu, comemoração por sua segunda vitória na temporada, o beijo da noiva e a declaração de amor pela pista de Goiânia. “Goiânia passou a ser a minha pista preferida: já tenho duas poles, pódios e agora duas vitórias. Uma pista que casa bem com o nosso carro. Pena termos tido problema de motor na tomada de tempo, mas trocamos e agora o possante ficou bom e pudemos recuperar e comemorar”, contou.

“Jogamos com o regulamento. Fico feliz por ter conquistado a vitória e ter somado mais de 30 pontos hoje, um bom passo para fechar o campeonato entre os três ou até mesmo ter uma chance lutar pelo vice-campeonato, ainda que pequena, mas vamos fazer o nosso trabalho para final, e vamos estar tinindo em Interlagos”, resume o piloto do #51 da Shell Racing, equipe que colocou seus dois pilotos no pódio no final de semana: segundo com Zonta e primeiro com Átila.

Feito semelhante ao da Eurofarma, que venceu com Daniel Serra a primeira corrida e chegou ao segundo lugar na disputa final com Max Wilson. “Nosso carro estava bom, competitivo, e o do Átila também. Do meio da corrida para frente eu já não tinha mais push, e mesmo assim consegui me manter no mesmo ritmo, o que é difícil. Não deu para ganhar hoje, o segundo lugar era o máximo que poderíamos conseguir e estou contente pelo resultado”, resignou-se.

De volta ao pódio, Cacá Bueno disse que a Goiânia 500 o deixou com “gostinho de quero mais”: “Tomei um toque na primeira corrida, o que me jogou para o último lugar. Não troquei pneus – um monte de gente trocou – e mesmo assim eu era um dos carros mais rápidos da pista. Isso mostra que o carro realmente acendeu neste fim de semana, estava muito bom. Ainda falta um pouquinho de tração. Pena que eu praticamente abortei a primeira corrida, senão a gente poderia ter feito um domingo ainda melhor”, explicou.

Thiago Camilo, Diego Nunes, Gabriel Casagrande, Lucas Foresti, Vitor Genz, Daniel Serra e Felipe Lapenna completaram os dez primeiros da segunda corrida.

Interlagos recebe a grande final em prova valendo pontuação dobrada, no dia 10 de dezembro.

Resultado Corrida 2*:
1. 51 Átila Abreu (Shell Racing) - 28 voltas em 52:03.000
2. 65 Max Wilson (Eurofarma-RCM) - a 0.677
3. 0 Cacá Bueno (Cimed Racing) - a 0.789
4. 21 Thiago Camilo (Ipiranga Racing) - a 7.506
5. 70 Diego Nunes (Hero Motorsport) - a 8.536
6. 83 Gabriel Casagrande (Vogel Motorsport) - a 9.645
7. 12 Lucas Foresti (Full Time Academy) - a 10.528
8. 46 Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team) - a 11.612
9. 29 Daniel Serra (Eurofarma-RC) - a 11.921
10. 110 Felipe Lapenna (Cavaleiro Sports) - a 12.331
11. 1 Antonio Pizzonia (Prati-Donaduzzi Racing) - a 15.157
12. 18 Allam Khodair (Full Time Sports) - a 15.713
13. 30 César Ramos (Blau Motorsport) - a 20.775
14. 8 Rafael Suzuki (Cavaleiro Sports) - a 21.820
15. 80 Marcos Gomes (Cimed Racing) - a 25.146
16. 3 Bia Figueiredo (Full Time Academy) - a 32.364
17. 111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) - a 40.581
18. 555 Renato Braga (Mico's Racing) - a 54.907
19. 10 Ricardo Zonta (Shell Racing) - a 1 volta
20. 73 Sérgio Jimenez (Bardahl Hot Car) - a 1 volta
21. 188 Beto Monteiro (Mico's Racing) - a 1 volta
22. 117 Guilherme Salas (Vogel Motorsport) - a 2 voltas
NÃO COMPLETARAM (75% da distância de prova)
23. 90 Ricardo Maurício (Eurofarma-RC) - a 7 voltas
24. 28 Galid Osman (Ipiranga Racing) - a 7 voltas
25. 4 Júlio Campos (Prati-Donaduzzi Racing) - a 12 voltas
26. 5 Denis Navarro (Cimed Racing) - a 16 voltas
27. 40 Felipe Fraga (Cimed Racing) - a 20 voltas
28. 77 Valdeno Brito (Eisenbahn Racing Team) - a 21 voltas
29. 9 Guga Lima (Bardahl Hot Car) - a 25 voltas
30. 444 António Félix da Costa (Hero Motorsport) - a 29 voltas
31. 31 Márcio Campos (Blau Motorsport) - a 29 voltas
32. 25 Tuka Rocha (RCM) - não largou
*Resultados sujeitos a verificações técnicas e desportivas

CLASSIFICAÇÃO DO CAMPEONATO (Top-10):
1. Daniel Serra, 325 pontos
2. Thiago Camilo, 306
3. Átila Abreu, 254
4. Max Wilson, 236
5. Felipe Fraga, 222
6. Cacá Bueno, 215
7. Rubens Barrichello, 210
8. Marcos Gomes, 198
9. Ricardo Maurício, 181
10. Gabriel Casagrande, 176

Fotos:

(Fernanda Freixosa/Vicar)

(Fábio Davini/Vicar)

Mais notícias em: www.stockcar.com.br

domingo, 19 de novembro de 2017

KART PETROBRAS : OS VENCEDORES JÁ ESTÃO NA EUROPA PARA OS TESTES NO FORMULA 4

                                                                                 

Após participarem das primeiras atividades do programa de orientação no Brasil, João Rosate, Murilo Coletta e Enzo Elias embaram para o 'Velho Continente' onde receberão  as experiências mais esperadas da premiação.
                                                                    

Depois de participarem das ações iniciais promovidas pela Seletiva de Kart Petrobras, como parte da premiação da 19ª edição e do programa de orientação, os três jovens pilotos ja estão na Europa. O momento mais esperado por eles está chegando com a chance de testar em um simulador de Fórmula 1 e os dois dias de testes com um carro de Fórmula 4. 
                                                                      

Nos dias 20 e 21 acontecem os dois dias de testes com um Fórmula 4 na equipe DieGi Motorsport, no circuito Tazio Nuvolari, em Pavia, na Itália. A pista de 2,805 km tem uma longa reta, seis curvas para a direita e cinco para a esquerda e é uma das mais utilizadas pelas categorias de base na Itália. No dia 23 o campeão da Seletiva de Kart Petrobras, João Rosate, Murilo Coletta, terceiro colocado, e Enzo Elias, o melhor estreante, farão o teste com simulador na empresa do engenheiro russo Anton Stipinovich, que já desenvolveu simuladores para várias escuderias da Europa, incluindo uma das equipes da Fórmula 1.
                                                                    

“Iniciamos as atividades do programa na semana passada, aqui no Brasil. E foram dias bem produtivos. Mas acelerar é o que eles mais esperam, principalmente porque, na maioria das vezes, é o primeiro contato deles com um monosposto. Na pista, a emoção deles é ainda maior e ver um garoto que sempre sonhou com aquele dia, realizando um sonho é bem gratificante. É muito bom ver o talento deles aparecendo a cada volta, melhorando a cada saída e conversas com os engenheiros”, comentou Binho Carcasci, organizador e idealizador da Seletiva de Kart Petrobras.
                                                                           
“Neste ano mantivemos a parceria com o Anton e a equipe DieGi. Sabemos que o simulador tem uma importância enorme, em virtude da limitação de testes nas categorias do mundo todo. Até mesmo os pilotos da F-1 passam horas num simulador. E agora, nossos pilotos terão a chance de experimentar um dos melhores equipamentos do mundo”, lembrou Carcasci.

A última semana foi intensa para os vencedores da 19ª edição da Seletiva. Eles iniciaram as atividades do programa de orientação. Na quarta-feira (8) tiveram um dia de treinamento físico com o professor de Educação Física, especializado em Fisiologia do Exercício, Vanderlei Pereira na V10 Treinamento Esportivo.

“O treino com o Vander foi muito legal e divertido. Fizemos muitos exercícios aeróbicos, de musculação, treinos específicos para o pescoço que para nós pilotos é essencial. Foi muito bom, pela experiência que ele tem e pelas palavras e conselhos que ele nos deu. Pudemos ver o nosso nível físico e o que precisamos melhorar a partir de agora”, contou Murilo Coletta, sobre o treinamento com Vander.

Na quinta-feira (dia 9) tiveram a chance de saber mais sobre a importância do marketing esportivo e também receberam orientações sobre como lidar com a imprensa em um media training. João Rosate, atual campeão da Seletiva, comentou sobre o dia de palestras.

“Gostei muito das palestras. Vi que tem muita coisa que ainda preciso melhorar e aprender. Essa parte de mídia e marketing esportivo faz muito mais diferença do que parece. Aprendi desde como fazer um bom projeto para captação de patrocínio, até como me portar diante de câmeras e microfones. Foi ótimo”, disse.

Na sexta-feira (dia 10), como parte das ações, a Petrobras convidou os 12 finalistas para presenciarem um pouco do universo da Fórmula 1, durante os treinos livres do GP Brasil. Os pilotos que participaram foram: João Rosate, Lucas Okada, Enzo Elias, Gabriel Paturle, Pedro Gurgacz e Edgar Bueno. Os demais não puderam estar presentes por já terem outros compromissos pessoais agendados.

O melhor estreante de 2017 na Seletiva, Enzo Elias de apenas 15 anos, ficou muito feliz com a oportunidade. “Foi muito incrível. Com certeza foi uma das melhores experiências que eu já vivi. E foi minha primeira vez na Fórmula 1, achei muito sensacional e me fez ter certeza de que é isso que eu quero para minha carreira”, falou.

Veja a pontuação final da Seletiva de Kart Petrobras:
1. João Rosate (GO) – 46 pontos
2. Lucas Okada (DF) - 39
3. Murilo Coletta (SP) - 37
4. Enzo Elias (DF) - 29
5. Vinicius Ponce (SP) - 26 
6. Arthur Leist (RS) - 24
7. Gabriel Paturle (MG) - 13 
8. Pedro Goulart (RS) - 13
9. Edgar Bueno (PR) - 13
10. Lucas Grosskopf (MG) -12 
11. Pedro Gurgacz (PR) - 8 
12. Sergio Crispim (PB) - 4

Seletiva de Kart Petrobras - Criada em 1999, com o patrocínio da Petrobras, a Seletiva tem, em média, aproximadamente 110 pilotos tentando a vaga na final. Em 18 anos, mais de 200 já estiveram na briga pelo título na grande final.Considerada uma referência entre os kartistas do Brasil, a Seletiva de Kart Petrobras é reconhecida (desde 2001) como evento oficial da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA) e da Comissão Nacional de Kart (CNK).

Além da maior premiação em dinheiro do kartismo nacional, a Seletiva de Kart Petrobras contempla três competidores com a participação em um programa de orientação de pilotos, que inclui um teste com simulador de F-1 na Europa, um teste com monoposto de base também na Europa, com a orientação de um coaching, acompanhamento físico e psicológico, experiência com carros de turismo no Brasil, palestra sobre marketing e media training.

A premiação total - somando todas as ações - chega a aproximadamente 350 mil reais. O campeão recebeu 85 mil reais em dinheiro e o vice-campeão 8 mil. Os finalistas disputaram o título com chassis fornecidos pela fabricante Bravar.

MB CHALLENGE :PÓDIO PARA FLAVIO ANDRADE E ESCORPIONI EM GOIÃNIA


MB Challenge: Flávio Andrade e Fábio Escorpioni sobem ao pódio em Goiânia.
Dupla da Hot Car tem domingo de festa na pista do Centro-Oeste brasileiro. Andradeé o segundo na C250 e Escorpioni o terceiro na CLA AMG Cup.

Foi um domingo de festa para a equipe Hot Car Racing / Promax Bardahl na disputa da sétima etapa do Mercedes-Benz Challenge no autódromo Ayrton Senna, em Goiânia (GO). Flávio Andrade conquistou mais um pódio na C250, chegando em segundo lugar na categoria e na Master, e Fábio Escorpioni conquistou seu primeiro pódio na CLA AMG Cup, com o terceiro lugar geral.
                                                                          

Os vencedores foram os pilotos José Vitte (CLA) e Marcos Paioli (C250). A última etapa da temporada acontecerá no dia 10 de dezembro no autódromo de Interlagos (SP) e a briga vai ser boa pelos títulos da temporada.
                                                                          

Escorpioni, que largou em décimo lugar, comemorou muito o resultado e a estratégia perfeita da equipe Hot Car na parada nos boxes. Com o tempo instável e pista molhada, os pilotos largaram com Safety Car, mas no momento do pit stop a pista já começava a secar e a equipe optou pela troca para os pneus slicks.

“Foi a nossa classificação mais difícil e, na corrida, veio o melhor resultado. Não conseguimos encaixar bem a volta na classificação, choveu, não treinamos muito, mas na prova foi tudo diferente. Consegui largar bem e ultrapassei uns quatro carros nas primeiras voltas. A estratégia foi muito boa, a equipe está de parabéns. Fizemos o pit na hora certa, colocamos os pneus certos e chegamos no pódio”, comentou o piloto da CLA #55.

“Esse pódio dá uma animada para Interlagos. É uma pista onde andamos bastante, então estou com uma expectativa muito boa para fechar a temporada no pódio também”, completou o piloto paulista.

Andrade, que tem agora cinco Top-3 na Master nas sete etapas deste ano, segue na vice-liderança da C250 Master e está animado na briga pelo título.

“A nossa equipe fez um trabalho fantástico nos boxes e saímos com um bom tempo e isso nos deu uma vantagem para a segunda parte da corrida. Senti muita confiança com os pneus slicks, com a pista ainda um pouco molhada, e fui virando cada vez mais rápido. Estava em primeiro e só no final o Paioli me alcançou e tivemos uma disputa ali, nos tocamos, ele tirou o meu espelho, mas no final foi um ótimo resultado. Gosto muito desta pista e agora vamos para São Paulo mais próximos na disputa pelo título, com boas chances”, finalizou o piloto da C250 #26.
                                                                       

Confira os resultados da sétima etapa do Mercedes-Benz Challenge:

CLA AMG Cup
1) José Vitte (WCR)
2) Adriano Rabelo (Cordova Motorsports)
3) Fabio Escorpioni (Hot Car Competições)
4) Fernando Amorim (Mottin/Sul Racing)
5) Roger Sandoval (Mottin Racing)
6) Raijan Mascarello (Mottin Racing)
7) Betão Fonseca (Center Bus Sambaiba Racing)
8) Fernando Poeta (Mottin/Sul Racing)
9) Fernando Júnior (WCR)
10) Pierre Ventura (Cordova Motorsports)
11) Bruno Alvarenga (Rsports Racing)
12) Luiz Carlos Ribeiro (Ourocar Racing)

C 250 Cup
1) Marcos Paioli (Paioli Racing)
2) Flavio Andrade (Hot Car Competições)
3) André Moraes Jr. (PGL Racing)
4) Peter Michael Gottschalk (Paioli Racing)
5) Beto Rossi (Paioli Racing)
6) João Lemos (PGL Racing)
7) Claudio Simão (Center Bus Sambaiba Racing)
8) Leandro Reis (Rsports Racing)
9) Fabio Peterson (Center Bus Sambaiba Racing)
10) Carlos Machado (Center Bus Sambaiba Racing)
11) Cello Nunes (Rsports Racing)
12) Vinícius Fugi (Brandão Motorsport)
13) Luiz Barcellos (Center Bus Sambaiba Racing)
14) Carlos Guilherme/Sergio Kuba (Center Bus Sambaiba Racing)
15) Alexandre Navarro (Rsports Racing)
16) Raphael Teixeira/Rodrigo Cruvinel (Brandão Motorsport)

Campeonato CLA AMG Cup (Top-15):
1) Fernando Junior, 98
2) José Vitte, 78
3) Roger Sandoval, 75
4) Betão Fonseca, 74
5) Raijan Mascarello, 68
6) Luiz Carlos Ribeiro, 61
7) Pierre Ventura, 53
8) Lorenzo Varassin, 52
9) Adriano Rabelo, 49
10) Fernando Poeta, 49
11) Fernando Amorim, 49
12) Fabio Escorpioni, 48
13) Renato Braga, 45
14) Paulo Varassin, 30
15) Alexandre Buneder, 23

Campeonato C 250 Cup (Top-10):
1) Claudio Simão, 94
2) Marcos Paioli, 92
3) André Moraes Jr., 92
4) Flavio Andrade, 76
5) João Lemos, 76
6) R. Teixeira/R. Cruvinel, 60
7) Cello Nunes, 54
8) Peter Gottschalk, 50
9) Beto Rossi, 49
10) Peter Michel Gottschalk, 48

Campeonato C 250 Cup Master (Top-5):
1) Claudio Simão, 118
2) Flavio Andrade, 107
3) Marcos Paioli, 100
4) João Lemos, 99
5) Beto Rossi, 72

Informações sobre a equipe Hot Car e patrocinadores, acesse:
instagram.com/hotcarcompeticoes

BRASILEIRO DE TURISMO :RAPHAEL REIS VENCE NA CHUVA EM GOIÃNIA

                                                                              
Em final eletrizante, piloto da W2 conquista sua primeira vitória no Brasileiro de Turismo. Segundo e terceiro, Gabriel Robe e Gaetano di Mauro cruzam linha de chegada a 27 milésimos um do outro.

Não se pode negar que a chuva sempre traz um tempero especial às corridas. E foi com pista molhada, na manhã deste domingo (19) em Goiânia, que a prova final da sétima e penúltima rodada do Campeonato Brasileiro de Turismo foi uma das melhores do ano. Disputas do início ao fim, várias ultrapassagens, e dois carros cruzando a linha de chegada a centímetros um do outro. A vitória ficou com Raphael Reis, sua primeira na categoria, que soube se aproveitar do melhor momento para ultrapassar Gabriel Robe, que largara na primeira posição.
                                                                        

“A equipe fez um trabalho muito bom, porque o carro estava excelente na pista molhada. Consegui a ultrapassagem ainda na parte inicial da corrida, usando o push, já que eu havia guardado alguns da corrida de sábado, e consegui aproveitar deste benefício”, explicou. “Dali em diante foi só olhar para frente e seguir para a vitória”, concluiu o piloto da W2 Racing, que subiu da sexta para a terceira posição na tabela, com 117 pontos, e é um dos poucos que ainda alimentam chances matemáticas para a etapa final.

Na segunda posição ficou Gabriel Robe, líder do campeonato agora com 154 pontos. Nas voltas finais, o gaúcho da Motortech ensaiou alguma pressão sobre Reis enquanto Gaetano di Mauro também se aproximava. Na última volta, passou a ser pressionado pelo adversário. Na linha de chegada, Robe cruzou centímetros à frente de di Mauro; no cronômetro, apenas 27 milésimos de segundo.

“Gosto muito de correr na chuva, porque é sempre muito disputado. Larguei na ponta e acabei perdendo a liderança, mas depois fui buscando o Reis, que ia num ritmo bem forte. No finalzinho o Gaetano chegou e ficou uma briga de três pilotos pela vitória. Eu queria atacar, mas ao mesmo tempo tinha de me defender. Foi uma corrida muito emocionante e também muito importante para o campeonato”, disse o gaúcho, que alimenta 34 pontos de vantagem com 40 em jogo na etapa final que acontece em Interlagos no dia 10 dezembro. “É uma vantagem boa, mas a etapa final acaba sendo uma loucura, pois os pilotos com menos chances partem para o tudo ou nada enquanto eu tenho de ser mais conservador. Chegar com esta vantagem é ótimo, mas o título só vai ser decidido na bandeirada final”, afirmou.
                                                                  

Gaetano di Mauro, terceiro na prova e vice-líder da competição, teve uma prova de início complicado, e também enfrentou mais percalços no decorrer da disputa. O principal problema, a visibilidade. “Com todos os problemas que eu tive, foi muito bom. Tive que fazer uma parada ainda antes da largada e sair atrás me proporcionou uma boa recuperação. Contudo, eu estava sem o limpador de para-brisas, então eu não tinha visibilidade nenhuma quando estava colado em outro carro. O importante foi salvar estes pontos para o campeonato, o que estava bem difícil. Agora vamos com tudo para Interlagos tentar o título”, falou o piloto da W2 Racing. Gustavo Frigotto e Pietro Rimbano fecharam os cinco primeiros que subiram ao pódio na manhã goiana. 

Robe soma 154 pontos contra 120 de di Mauro. Reis, com 117, e Frigotto, com 115, são os únicos pilotos que ainda podem sonhar com o título da temporada 2017. Interlagos recebe a grande decisão, com pontuação dobrada, no dia 10 de dezembro.

Resultado – Corrida 2*:
1. 77 Raphael Reis (W2 Racing) - 21 voltas
2. 35 Gabriel Robe (Motortech) - a 0.980
3. 11 Gaetano di Mauro (W2 Racing) - a 1.007
4. 86 Gustavo Frigotto (RKL Competições) - a 7.267
5. 17 Pietro Rimbano (RKL Competições) - a 16.959
6. 117 Gustavo Myasava (MRF Motorsport) - a 20.226
7. 7 Giulio Borlenghi (Full Time Academy) - a 27.547
8. 777 Pedro Saderi (MRF Motorsport) - a 36.948
9. 23 Marco Cozzi (RS Motorsport) - a 37.182
10. 177 Luca Milani (C2 Team) - a 37.648
11. 78 Lucas Peres (L3 Motorsports) - a 44.772
12. 13 Raphael Campos (Nascar Motorsport) - a 1:30.965
13. 45 Giuseppe Vecci (RS Motorsport) - a 1:36.958
14. 84 Fernando Croce (C.A. Competições) - a 1:37.050
15. 46 Tuca Antoniazzi (Motorsport) - a 1 volta
16. 19 Mateus Muniz (Motortech) - a 4 voltas
17. 1 Lukas Moraes (Nascar Motorsport) - a 5 voltas
NÃO COMPLETARAM (75% da distância de prova)
18. 120 Vitor Baptista (Full Time Academy) - a 16 voltas
19. 33 Guto Matiazzi (L3 Motorsports) - a 16 voltas
MELHOR VOLTA: Gaetano di Mauro, 1min41s337
*Resultado sujeito a verificações técnicas e desportivas

Classificação do Campeonato (Top-10):
1. Gabriel Robe, 154 pontos
2. Gaetano di Mauro, 120
3. Raphael Reis, 117
4. Gustavo Frigotto, 115
5. Pietro Rimbano, 112
6. Luca Milani, 109
7. Marco Cozzi, 92
8. Gustavo Myasava, 92
9. Edson Coelho, 47
10. Mateus Muniz, 42

Mais notícias em: www.brasileirodeturismo.com.br

sábado, 18 de novembro de 2017

STOCK CAR DANIEL SERRA LARGA NA POLE NA GOIÂNIA 500

Daniel Serra na pole da Goiânia 500.
                                                                    
Pela quarta vez na temporada, atual líder do campeonato larga na frente. Piloto da Eurofarma-RC conquistou a nona pole position de sua carreira. Vice-líder da competição, Thiago Camilo larga em quinto e português surpreende na estreia.
                                                                              
Pela quarta vez na temporada, atual líder do campeonato larga na frente. Piloto da Eurofarma-RC conquistou a nona pole position de sua carreira. Vice-líder da competição, Thiago Camilo larga em quinto e português surpreende na estreia

GOIÂNIA (GO), 18 de novembro de 2017 – Grid definido para a Goiânia 500, a 11ª e penúltima etapa da temporada, e a última rodada dupla do ano na Stock Car. Pela quarta vez na atual disputa, Daniel Serra larga na frente. O piloto da Eurofarma-RC foi o último dos seis pilotos classificados no Q3 a ir para a pista e marcou 1min24s270, desbancando por 65 milésimos de segundo o campeão de 2015 Marcos Gomes.
                                                                        

“A meta era fazer a pole”, destacou Daniel. “Tenho que agradecer a equipe, que tem feito um trabalho muito legal durante o final de semana”, disse, antes de lembrar que não completou tantas voltas durante os treinos sob uma condição que não fosse de chuva. 

“Tivemos pouco tempo de pista seca: eu só andei assim no primeiro treino e depois choveu. Hoje consegui dar uma volta no seco e depois choveu de novo. Mesmo assim, pude ver que eu tinha um dos melhores acertos que usei na temporada. Para a classificação o tempo mudou, a pista esquentou e a equipe conseguiu me dar um carro muito bom e competitivo. Estou muito feliz”, resumiu. E mais uma vez, levou o troféu Pole Position HERO ao lado de seu filho Lucas.
                                                                     

Companheiro de equipe de Serra, Ricardo Maurício larga em terceiro com um tempo apenas 80 milésimos de segundo pior que o da pole, com Ricardo Zonta em quarto e o adversário mais próximo de Serrinha na luta pelo título, Thiago Camilo, sai da quinta posição. O surpreendente português António Félix da Costa sai em sexto, tendo passado ao Q3 em sua primeira classificação na Stock Car.
                                                                     

Apesar da chuva que caiu durante o treino livre da manhã deste sábado (18) em Goiânia, a temperatura subiu e a pista secou-se por completo para a classificação disputada no início da tarde. E já começou reservando algumas surpresas: Cacá Bueno e Átila Abreu, por exemplo, ficaram de fora já na primeira parte da sessão, quando Diego Nunes foi o mais rápido. 
                                                                      

No Q2, os quinze melhores voltaram à pista para tentar passar ao Q3. Passaram Daniel Serra, Ricardo Maurício, Ricardo Zonta, o estreante António Félix da Costa e Marcos Gomes. Em ordem inversa, eles foram à pista. O português, que faz sua primeira corrida pela HERO após duas participações na Corrida de Duplas (em 2015 e 2016) como convidado de Allam Khodair, foi o melhor piloto do time neste sábado e vai largar em sexto. Denis Navarro, Rubens Barrichello, Max Wilson e Galid Osman fecham os dez primeiros do grid.
                                                                            

A largada da primeira corrida da Goiânia 500 acontece neste domingo (19) às 13 horas; a segunda corrida começa às 14h10 e ambas terão transmissão ao vivo pelo SporTV.

Classificação - Grid de Largada Goiânia 500:
1. 29 Daniel Serra (Eurofarma RC) - 1:24.270
2. 80 Marcos Gomes (Cimed Racing) - 1:24.335 (0.065)
3. 90 Ricardo Mauricio (Eurofarma RC) - 1:24.350 (0.080)
4. 10 Ricardo Zonta (Shell Racing) - 1:24.357 (0.087)
5. 21 Thiago Camilo (Ipiranga Racing) - 1:24.360 (0.090)
6. 444 Felix da Costa (Hero Motorsport) - 1:24.446 (0.176)
Fora no Q2 (Mais rápido: Daniel Serra)     
7. 5 Denis Navarro (Cimed Racing Team) - 1:24.413
8. 111 Rubens Barrichello (Full Time Sports) - 1:24.446
9. 65 Max Wilson (RCM Motorsport) - 1:24.451
10. 28 Galid Osman (Ipiranga Racing) - 1:24.456
11. 30 Cesar Ramos (Blau Motorsport) - 1:24.503
12. 70 Diego Nunes (Hero Motorsport) - 1:24.506
13. 40 Felipe Fraga (Cimed Racing Team) - 1:24.528
14. 4 Julio Campos (Prati-Donaduzzi Racing) - 1:24.590
15. 18 Allam Khodair (Full Time Sports) - 1:24.654
Fora no Q1 (Mais rápido: Diego Nunes)  
16. 0 Cacá Bueno (Cimed Racing) - 1:24.430
17. 51 Átila Abreu (Shell Racing) - 1:24.439
18. 46 Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team) - 1:24.454
19. 12 Lucas Foresti (Full Time Academy) - 1:24.545
20. 31 Marcio Campos (Blau Motorsport) - 1:24.558
21. 110 Felipe Lapenna (Cavaleiro Sports) - 1:24.598
22. 117 Guilherme Salas (Vogel Motorsport) - 1:24.604
23. 73 Sergio Jimenez (Bardahl Hot Car) - 1:24.622
24. 3 Bia Figueiredo (Full Time Academy) - 1:24.628
25. 83 Gabriel Casagrande (Vogel Motorsport) - 1:24.629
26. 77 Valdeno Brito (Eisenbahn Racing Team) - 1:24.740
27. 8 Rafael Suzuki (Cavaleiro Sports) - 1:24.847
28. 1 Antonio Pizzonia (Prati-Donaduzzi Racing) - 1:24.866
29. 25 Tuka Rocha (RCM Motorsport) - 1:25.154
30. 9 Guga Lima (Bardahl (Hot Car) - 1:25.265
31. 188 Beto Monteiro (Mico's Racing) - 1:26.191
32. 555 Renato Braga (Mico's Racing) - 1:27.209
Resultado sujeito a verificações técnicas e desportivas

PROGRAMAÇÃO:

Domingo, 19 de novembro
08h25 - Largada (Corrida 2) Campeonato Brasileiro de Turismo
10h00 – Largada Mercedes-Benz Challenge
11h00 - 12h00 – Visitação aos boxes e Volta Rápida na Pista
13h00 – Largada (Corrida 1) Stock Car    
14h10 – Largada (Corrida 2) Stock Car
15h35 – Largada (Corrida 2) Copa Petrobras de Marcas

Fotos: Fábio Davini/Vicar

Mais notícias em: www.stockcar.com.br