sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

STOCK CAR CALENDÁRIO 2019 ATUALIZADO


Stock Car completa 40 anos e 500 corridas: confira o calendário 2019

Temporada 2019 começa justamente no mês que foi o ponto de partida da principal categoria do automobilismo brasileiro. Campeonato começa em 7 de abril e termina em 15 de dezembro.

A Stock Car completa 40 anos de história em 2019 e iniciará a próxima temporada com sua corrida de número 500. Serão 12 etapas, com uma novidade: a disputa da Corrida de Duplas ocorrerá em maio na terceira etapa, e não na abertura do campeonato, como de costume. Outras provas tradicionais seguem no calendário: a Corrida do Milhão em 25 de agosto, que paga ao vencedor a quantia de 1 milhão de reais, e a final em Interlagos no dia 15 de dezembro. 

A Stock Light terá oito etapas, sempre em conjunto com a principal. A categoria oficial de acesso à Stock Car, que teve sua primeira temporada em 1993, também estará na praça que for definida para receber a Corrida do Milhão.

“O ano de 2019 vai ser muito especial para a Stock Car em todos os sentidos. É o aniversário de 40 anos do surgimento da categoria, criada por pilotos que foram verdadeiros desbravadores, e justamente no mesmo ano que ela chega à sua corrida de número 500. São marcos importantíssimos na história do automobilismo brasileiro, e vamos trabalhar para que seja um ano extremamente especial dentro e fora das pistas”, destaca Carlos Col, presidente do conselho da Vicar Promoções Desportivas, promotora e organizadora da Stock Car e da Stock Light.

Para 2019 segue mantida a parceria de transmissão para TV e internet da Vicar junto aos veículos do Grupo Globo, com SporTV, Globoesporte.com e a própria TV Globo. A colaboração entre as duas partes vai para seu 20º ano de existência, tendo sido iniciada em 2000, ano que foi o marco de uma verdadeira revolução administrativa que tornou a Stock Car a mais importante e profissional categoria do automobilismo brasileiro.

A corrida de número 500 da Stock Car acontece no dia 7 de abril, em etapa prevista para o autódromo de Tarumã, em Viamão, no Rio Grande do Sul – justamente onde aconteceu a primeira corrida da história da categoria, em 22 de abril de 1979. Para 2019 a praça está sujeita a confirmação, uma vez que a CBA fará vistoria de homologação, após obras necessárias em algumas áreas do circuito.

A segunda etapa acontece no Velo Città, em Mogi Guaçu (SP), no dia 5 de maio. Duas semanas depois, acontece em Goiânia (GO) a Corrida de Duplas, prova já tradicional no calendário da Stock Car e que nos anos anteriores marcava a abertura da temporada. Desta vez, a prova na qual os pilotos titulares trazem estrelas do automobilismo internacional para formarem duplas será o terceiro encontro do campeonato.

Londrina, no norte do Paraná recebe a categoria no dia 9 de julho, e no dia 21 de julho a Stock Car se dirige a Santa Cruz do Sul (RS). O mês de agosto tem as etapas de Campo Grande, no dia 11, e a Corrida do Milhão – em praça a ser divulgada – no dia 25. Curitiba está provisoriamente no calendário para receber a oitava etapa, no dia 15 de setembro, aguardando apenas a formalização com o autódromo.

O circuito do Velopark, em Nova Santa Rita (RS), acostumado a receber sempre as etapas da Stock Car no primeiro semestre, será o palco do nono encontro de 2019, em 10 de novembro, enquanto a penúltima etapa, em 24 de novembro, retorna a Goiânia.

Para fechar a temporada coroando o campeão nos 40 anos da Stock Car, a principal categoria do automobilismo brasileiro segue a tradição encerrando o campeonato no autódromo de Interlagos, em São Paulo, no dia 15 de dezembro.

A Stock Light, categoria de acesso, corre em Tarumã, Goiânia, Londrina, na Corrida do Milhão, Curitiba, Cascavel, Goiânia e São Paulo.

Calendário 2019 da Stock Car

7 de abril: Tarumã, Rio Grande do Sul * (L)
5 de maio: Velo Città, Mogi Guaçu, SP
19 de maio: Goiânia, Goiás (L) – Corrida de Duplas
9 de junho: Londrina, Paraná (L)
21 de julho: Santa Cruz do Sul, Rio Grande do Sul
11 de agosto: Campo Grande, Mato Grosso do Sul
25 de agosto: Corrida do Milhão (L)
15 de setembro: Curitiba, Paraná* (L)
20 de outubro: Cascavel, Paraná (L)
10 de novembro: Velopark, Nova Santa Rita, RS
24 de novembro: Goiânia, Goiás (L)
15 de dezembro: Interlagos, São Paulo (L)
*Etapas com locais a serem confirmados
(L) Realização de etapa da Stock Light

Mais notícias em: www.stockcar.com.br

quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

MOTO: CONFIRMADO TORNEIO DAS ESCOLAS DE MOTO VELOCIDADE JANEIRO



                                                                                   




terça-feira, 25 de dezembro de 2018

FINAL OLD STOCK : RODRIGO PIMENTA NÃO ALIVIOU E VENCEU AS DUAS PROVAS

Rodrigo Pimenta vence as duas provas e Rafael Lopes é o Campeão de 2018.

oda a emoção da categoria na etapa mais emocionante e decisiva do ano, com sol, chuva, um grid excepcional e muita gente brindando o final de ano em Interlagos. 

A  terceira temporada da Old Stock Race chegou ao fim repetindo o feito do ano anterior, com um numero de carros maior que na primeira prova. Dos 27 opalas inscritos para a etapa final,  26 alinharam no grid, mostrando que a categoria encontra-se em plena ascensão e com chances muito grandes de ultrapassar dos 30 ou mais carros em 2019.
                                                                             

O público não se importou com o sol escaldante, nem com a proximidade do Natal, comparecendo em massa ao Autódromo de Interlagos mais uma vez para acompanhar a festa dos opalas e assistir de perto a decisão do título e as das duas provas emocionantes, transmitidas pelo sistema de som instalado na arquibancada exclusiva Old Stock Race com a narração de Celso Miranda e comentários de Sergio Lago, dois grandes profissionais de comunicação contratados pela categoria e que estarão juntos no comando dos microfones abrilhantando a temporada 2019 tanto ao vivo nos domingos de corrida, quanto nas reprises das provas em nosso canal do Youtube.
                                                                  


A sétima etapa  também teve estreias de pilotos e opalas, com Felipe Lemonias, filho do piloto Grego Lemonias do opala 18, fazendo dupla com Fausto Camacho no opala 78 do piloto Arnaldo Santos que nesta etapa cedeu seu lugar para o estreante. Quem também estreou foi o piloto Evandro Camargo fazendo dupla com Marco Maragno do opala numeral 9. Um novo opala, de numeral 333, também estreou na categoria trazendo no comando Alex Fabiano, que corre também na Copa Truck e seu parceiro Ciro Paciello. O ultimo estreante do ano foi Gláucio Doretto, que assumiu o comando do opala 22 nesta etapa.

A primeira prova, com largada marcada para as 11h15 sofreu atraso devido a uma corrida a pé, realizada antes das provas de esporte a motor, que deixou a pista repleta de detritos que poderiam comprometer a segurança dos carros dando muito trabalho à direção de prova em deixar tudo pronto para as competições e após a devida limpeza e checagem de todos os pontos de pista, os opalas foram finalmente para o grid, tendo Pedro Pimenta, piloto do opala 51 na pole position, com Rodrigo Helal ao seu lado. Logo atrás de Pimenta, outro grande piloto, Rodrigo Pimenta, bi campeão da categoria que participou apenas de 3 provas no ano, tendo ao seu lado o líder do campeonato, Rafael Lopes #54.
                                                                           

Na largada, Pedro Pimenta foi ultrapassado por Rodrigo Pimenta e Rodrigo Helal. Lopes colocou seu opala por fora tomando a posição de Helal  na segunda perna do "S do Senna", indo à caça do agora  líder. João Ometto Neto do opala 75 pulou para quarto ultrapassando Pedro Pimenta na entrada da reta oposta. Na chegada da curva do lago Rafael Lopes rodou saindo da pista voltando na última posição. "Tive um problema de transmissão, não sabia identificar se era cambio ou diferencial mas o carro travava nas reduzidas impossibilitando continuar na pista. " disse Lopes após a prova.

Pedro Pimenta, que tinha perdido 5 posições na primeira volta, conseguiu se recuperar e assumiu a segunda colocação, indo novamente à caça do líder Rodrigo.
Grego Lemonias do carro 18 teve a traseira do opala 18 danificada no toque com o carro 75 de João Ometto Neto, abandonando na terceira volta. Quem abandonou também foi Rafael Lopes que não conseguiu prosseguir depois dos problemas no carro.

Na pista, Rodrigo Pimenta e Pedro Pimenta, que apesar do sobrenome semelhante não tem parentesco direto travavam uma luta incrível, não muito entre si, mas por conta do calor intenso que gerava um desgaste físico enorme nos pilotos, além da pista muito difícil com o asfalto muito quente, comprometendo o desempenho dos pneus e controle do carro.
                                                                       
Rodrigo conseguiu levar seu opala ate o final da prova na ponta, cruzando em primeiro e voltando a vencer em Interlagos, lugar que lhe rendeu dois títulos e muitas alegrias nas temporadas passadas. "É muito bom voltar a andar no opala, me sinto muito bem nele e já me encontro muito rápido, apesar de ter feito poucas provas no ano e estar há um tempo longe do grid . Larguei muito bem conseguindo ir pra frente e me sustentar, apesar da pista bem difícil com esse calor intenso de hoje. " disse o piloto.
O resultado completo da prova ficou assim:

Pos Carro Nome Diff
1 2 Rodrigo Pimenta 0.000
2 51 Pedro Pimenta 4.275
3 113 Rodrigo Helal 5.987
4 87 Luiz Carlos Zappelini 15.131
5 79 Daniel Alberici 31.036
6 16 Alex Dimas 40.386
7 11 Robinson Molly 40.480
8 93 Felipe Matos 48.302
9 23 Victor Franzoni 54.615
10 45 Daniel Kelemen 59.955
11 333 Alex Fabiano 1:12.073
12 38 Rodrigo Leite 0.000
13 78 Felipe Lemonias 11.325
14 9 Evandro Camargo 0.000
15 77 Ronldo Paulino (China) 0.000
16 25 Jorge Schuback 0.000
17 21 Everson de Paula 0.000
18 18 Georges "Grego' Lemonias 0.000
19 10 Karim Machata Neto 3:47.587
20 31 Glauco Barros 0.000
21 54 Rafael Lopes 0.872
22 12 Fabio Mencarelli 5.907
DQ 75 João Ometto Neto 0.000
DQ 64 Marcos Philippi 0.000
DQ 5 Carlos Gomes 0.000
DQ 22 Glaucio Doreto 0.000

No intervalo entre as provas, os pilotos fizeram a tradicional visita ao público nas arquibancadas e como sempre foram recebidos com aplausos e muita festa, distribuindo adesivos, cards, dando autógrafos e fazendo fotos com seus fans. Uma festa linda, com centenas de opaleiros vindos de todos os cantos do país para verem de perto os opalas da categoria e seus corajosos pilotos que dominam as máquinas a mais de 200 km/h, realmente uma festa incrível. "É uma emoção sem igual assistir a tudo isso de perto, ainda mais com minha família e amigos aqui em Interlagos, fazendo aquele churrasco e curtindo o som dos opalas rasgando a reta, viemos em todas as etapas e ano que vem estaremos aqui novamente, parabéns pelo evento!" comentou Jurandir Almeida, apaixonado por opalas que mora no interior de São Paulo.
                                                                        

Com o atraso da programação, a segunda prova marcada para as 15h15, teve a abertura de boxes às 16h40 e os pilotos foram para a pista sob a ameaça de chuva, que chegou segundos antes da volta de apresentação, fazendo com que a direção de provas determinasse procedimento com safety car, para que os pilotos pudessem ter uma melhor leitura das condições de pista e se adaptar ao trajeto em chuva que é bem diferente da prova em pista seca.

Safety Car recolhido, os carros levantaram o spray dificultando a visão dos pilotos que vinham nas posições de trás, cada um fazendo seu traçado e desviando do opala da frente na esperança de enxergar alguma coisa. Rodrigo Pimenta se manteve  em primeiro e fez uma corrida cautelosa, porém sem nenhum oponente à sua frente, tendo como seus adversários apenas o asfalto escorregadio e a falta de aderência da pista.

Rafael Lopes, que abandonou a primeira prova na terceira volta, voltou com o opala bem acertado e iniciou sua escalada do grid para terminar o ano campeão com quem sabe uma vitória e já em sua primeira passagem após a bandeira verde era  13º , não parando de subir de posições com uma tocada impressionante, confirmando sua evolução e o motivo de liderar o campeonato deste ano.  "A quebra do carro a primeira prova me fez perder um pouco da confiança nas primeiras voltas da segunda bateria e largando no final do grid  eu tomava muito spray dos outros carros, mas já na terceira volta veio a confiança e comecei a virar cada vez mais rápido, ultrapassando os adversários com mais calma ate alcançar o segundo colocado. " disse Rafael.
                                                                                    

Falando em disputa, a melhor e mais alucinante de toda a etapa foi justamente travada entre Lopes e Helal, que na oitava volta passaram a dividir curva a curva, debaixo de chuva cada metro da pista, levantando as arquibancadas com o show de habilidade de ambos, chegando lado a lado na passagem da reta dos boxes na abertura da nona volta, assumindo a segunda posição e deixando Helal para trás mas sem abrir vantagem.
                                                                                 

Lá na frente, Rodrigo Pimenta seguiu sem ser ameaçado ate cruzar a linha de chegada, confirmando a vitória de ponta a ponta na segunda prova e dois ótimos resultados no final de semana. Rafael Lopes com um brilhante desempenho fechou em segundo lugar, seguido de Rodrigo Helal em terceiro. Grego Lemonias ficou em quarto após ter seu carro reconstruído para a segunda prova. Completando o pódio, Pedro Pimenta ficou em quinto e Victor Franzoni, que hoje corre na Formula Indy e estava há muito tempo sem andar no "Opalão 23" fez bonito terminando em sexto lugar e cravando a melhor volta da prova na chuva com 2m14s713.

O resultado completo da segunda prova ficou assim:
Pos Carro Nome Diff
1 2 Rodrigo Pimenta 0.000
2 54 Rafael Lopes 4.417
3 113 Rodrigo Helal 17.080
4 18 George"Grego" Lemonias 20.136
5 51 Pedro Pimenta 23.551
6 23 Victor Franzoni 25.122
7 45 Daniel Kelemen 52.474
8 87 Luiz Carlos Zappelini 1:06.812
9 16 Alex Dimas 1:38.651
10 25 Jorge Schuback 1:45.367
11 77 Ronaldo Paulino (China) 0.000
12 9 Marco Maragno 0.000
13 5 Carlos Gomes 0.000
14 78 Fausto Camacho 0.000
15 79 Daniel Alberici 0.000
16 11 Robinson Molly 1:55.517
17 93 Felipe Matos 0.000
18 333 Álvaro Vilhena 10:36.210
19 22 Gláucio Doreto 0.000
20 38 Vinicius Leite 0.000
21 21 Everson de Paula 0.000
22 10 Karim Machata Neto 0.000
23 12 Fabio Mencarelli 0.000
24 75 João Ometto Neto 0.000
25 64 Marcos Philippi 0.000
DQ 31 Glauco Barros 0.000

A temporada 2018 terminou com Rafael Lopes Consagrando-se Campeão e João Ometto Neto vice na classe Geral. Na Old Man, para pilotos acima de 55 anos o campeão foi Grego Lemonias tendo Vinicius Pimentel como vice.
                                                                             

Os opalas agora entram em ferias e voltam a partir de Fevereiro de 2019 com muito mais emoções e novidades na categoria.

Fotos:Humberto Silva/OSR e Lívia Amatto/OSR

F. Imprensa Old Stock Race

Opalas na Pista Old Stock Race bastidores

FORMULA INTER : MARCELO HENRIQUE E BICAMPEÃO

Marcelo Henriques é Bicampeão da Formula Inter
                                                                                

Estreante Francesco Franciosi vence o 21o Round

A Formula Inter voltou ao Autódromo Internacional José Carlos Pace, neste domingo (23), para a grande final, valendo o título de campeão pela Federação Paulista de Automobilismo.

Prevendo uma corrida decidida no detalhe, nos treinos livres da sexta-feira os primeiros seis pilotos viraram na casa do mesmo segundo.

No sábado, a pole position ficou com o estreante Francesco Franciosi, mostrando uma rápida adaptação aos carros da Formula Inter, com Gabriel Salomão em segundo e Marcelo Henriques em terceiro.

Com recorde de vitórias na temporada, Henriques construiu uma vantagem na liderança do campeonato que se mostrou crucial para o título de 2018. Bastava dar apenas uma volta para Marcelo Henriques conseguir os pontos necessários para conquistar o bi-campeonato. Na largada de domingo, Gabriel Salomão pulou na frente com Marcelo Henriques em segundo já na curva do Sol, com o pole Francesco caindo para a quarta posição. 
                                                                                 

“Sabíamos do que precisávamos, então fomos para a pista procurando fazer uma largada e primeira volta conservadora para garantir o título e depois sim, pressionar pela vitória. Foi uma surpresa já pular para segundo sem correr riscos. Quando fechei a primeira volta, comemorei tanto que quase perdi a freada no S do Senna. Foi uma emoção indescritível ser campeão e ainda ter uma corrida inteira de presente pela frente para se divertir“, disse o sorridente campeão.
                                                                            

A corrida se manteve assim até que Marcelo Henriques teve uma quebra na homocinética na curva do Laranjinha, ficando pelo caminho na sexta volta, quando pressionava o líder.
                                     


“Foi um mix de emoções. Ia ficar triste porque sentia que dava para vencer aquela corrida, mas foi só lembrar que eu tinha acabado de conquistar o campeonato coroando o trabalho de um ano inteiro, que não consegui ficar chateado. Queria agradecer a cada pessoa que me ajudou a conquistar este título e não foram poucos. Sozinho eu não teria conseguido. Muito obrigado!”, completou Henriques, emocionado.

Francesco Franciosi conseguiu uma belíssima recuperação, ultrapassando Gabriel Salomão a duas voltas do final, vencendo a corrida e confirmando a velocidade que mostrou nos treinos durante o fim de semana.

Os três primeiros do Campeonato pela Federação ficou da seguinte forma:

1) Marcelo Henriques, 157;
2) Gabriel Salomão, 140;
3) Alex Seid, 138;

Perguntado sobre a próxima temporada, Henriques ainda não tem o futuro definido.

“Foram dois anos fantásticos na Formula Inter onde deu tudo muito certo. Modéstia aparte, acho que evoluí muito tecnicamente graças aos professores que tive aqui dentro. Sinto uma gratidão enorme pela categoria e por como ela me acolheu. Ainda estamos definindo algumas coisinhas que não dependem tanto de mim. Espero conseguir um bom próximo passo na carreira.”

 https://www.facebook.com marcelohenriquespiloto e instagram/mar_henriques.

Foto : Rodrigo Ruiz

F : NS Comunicação

domingo, 23 de dezembro de 2018

500 KM SP:LAMBORGHINI VENCEU BONITO COM LONGO,GOMES E FRANZONI

Lamborghini de Longo, Gomes e Franzoni vence os 500 Km de São Paulo - Chevrolet Absoluta 500.
                                                                      


Trio assume a liderança na terceira hora de corrida, e triunfa no retorno da corrida ao Autódromo de Interlagos.

A Lamborghini Huracan pilotada por Chico Longo, Marcos Gomes e Victor Franzoni venceu neste sábado (22) os 500 Km de São Paulo – Chevrolet Absoluta 500, prova disputada no Autódromo de Interlagos, em São Paulo (SP). O trio, que liderou os três treinos livres e largou da segunda posição, teve um início de prova discreto, e apareceu com força a partir da terceira hora de prova, quando Gomes assumiu a pilotagem, e tomou a dianteira da corrida, seguindo para a vitória.
                                                                       


O resultado é especial para Longo, que venceu a prova pela terceira vez, repetindo os feitos de 2009 e 2010, quando venceu a prova ao lado de Daniel Serra. O resultado iguala o piloto a Celso Lara Barberis, Luiz Pereira Bueno e Max Wilson, todos tricampeões da prova. Já Marquinhos se tornou o terceiro piloto do clã Gomes a vencer os 500 Km de São Paulo – Chevrolet Absoluta 500, uma vez que seu pai, Paulão, e o irmão, Pedro, triunfaram ao lado de Alcides Diniz em 2003. Franzoni, por sua vez, triunfou em sua primeira corrida com um GT na carreira.
                                                                          

A edição deste ano foi das mais equilibradas, e contou com quatro carros na briga pela vitória. Além da Lamborghini vencedora, o protótipo AJR de Emílio Padron, Fernando Fortes e Henrique Assunção, que largaram da pole position, o Mercedes de Guilherme Figueroa, Ricardo Baptista e Julio Campos, e o Porsche de Marcel Visconde, Max Wilson e Ricardo Maurício. Todos eles lideraram a prova por pelo menos uma volta, e batalharam pela segunda posição até o giro final.

A segunda posição acabou nas mãos do Mercedes, que teve Campos na pilotagem no stint final. O terceiro colocado do último campeonato da Stock Car assumiu a posição na abertura da última volta, deixando Maurício e seu Porsche para trás, enquanto o AJR, pilotado por Fortes na parte final da disputa, também superou o carro dos vencedores de 2017 nos metros finais para terminar em terceiro, garantindo a vitória na categoria P1.
                                                                           

A quinta posição terminou nas mãos de Renan Guerra e Arthur Felipe, que correram com um protótipo JR, vencendo entre os competidores da categoria P3. O sexto posto ficou com Henry Visconde e Tiel de Andrade, que triunfaram na classe GT4 com um Audi. Carlos Vallone, Ricardo Kraft e Edgard Amaral venceram na classe T com um Volkswagen Gol, terminando no 13º posto geral. Carlos Antunes, Yuri Antunes e Alexandre Finardi triunfaram na P2 com um protótipo MRX.
                                                                           

Após a corrida, Longo disse que enfrentou dificuldades no começo da prova, e celebrou a temporada após a vitória. “O carro era muito bom, mas a calibragem estava errada, muito alta, e estava muito difícil de pilotar. A gente achou que tivesse algum problema no carro, mas o problema era a calibragem. No último terço da corrida, a gente viu que tinha chances de vencer. A gente estava fora dos 500 Km desde 2010, e foi bacana voltar depois de oito anos com vitória, minha terceira na prova, completando um ano em que eu fui campeão brasileiro de Endurance”, disse Longo, após a corrida.

Franzoni celebrou sua primeira experiência com a Lamborghini.“A minha estreia em um carro GT foi melhor do que o esperado, mas tinha a equipe toda por trás, com o Marquinhos e o Chico me ajudando muito. Quero agradecer a Via Itália Racing pelo carro que me deu. A corrida foi difícil, pois eu tive que andar quase 100% o tempo todo. Normalmente, você tenta poupar o carro. Eu tentei fazer o máximo para ganhar tempo e posições para entregar para o Marquinhos em uma boa posição. E foi tudo perfeito”, disse.

Gomes comemorou o bom desempenho na prova. “A corrida foi super emocionante. A gente estava em quarto no começo, depois o Victor recuperou um pouco, mas nosso acerto na estratégia foi vir aos boxes no Safety Car para cumprir a troca de pilotos. Depois, eu imprimi um ritmo forte para tirar a diferença dos três primeiros, e deu certo. Eu não me lembrava que meu pai e meu irmão venceram a corrida, mas é muito legal igualá-los. Nós somos a família que mais venceu os 500 Km”, comenta Marquinhos.
                                                                                


Confira o resultado final dos 500 Km de São Paulo – Chevrolet Absoluta 500:

1º - 19 - Chico Longo/Marcos Gomes/Victor Franzoni (Lamborghini/GT3) - 117 voltas em 3h26min29s
2º - 8 - Guilherme Figueroa/Ricardo Baptista/Julio Campos (Mercedes/GT3) - a 1min10s460
3º - 117 - Emílio Padron/Fernando Fortes/Henrique Assunção (AJR/P1) - a 1min11s814
4º - 70 - Marcel Visconde/Max Wilson/Ricardo Maurício (Porsche/GT3) - a 1min11s904
5º - 15 - Renan Guerra/Arthur Felipe (JR/P3) - a 11 voltas
6º - 64 - Henry Visconde/Tiel de Andrade (Audi/GT4) - a 14 voltas
7º - 13 - Alexandre Zaninotto/Leandro Guerra (Spyder/P3) - a 17 voltas
8º - 125 - Paulo Plutarcho/Davi Plutarcho/Saúva (Spyder/P3) - a 17 voltas
9º - 25 - Ney Faustini/Edras Soares (Vectra/P1) - a 18 voltas
10º - 7 - Paulo Sousa/Mauro Kern (BMW/GT4) - a 18 voltas
11º - 74 - Eduardo Colamarino/Luiz Abbade (Spyder/P3) - a 23 voltas
12º - 66 - Luc Monteiro/José Vilela (Spyder/P3) - a 26 voltas
13º - 222 - Carlos Vallone/Ricardo Kraft/Edgar Amaral (Gol/T) - a 27 voltas
14º - 113 - Ricardo Cimatti/Tiago Regis/Rogério Dudu (Sandero/T) - a 42 voltas
15º - 72 - Carlos Antunes/Yuri Antunes/Alexandre Finardi (MRX/P2) - a 53 voltas
16º - 20 - Fabiano Cardoso/Daniel Keleman/Rafael Lopes/M.Costa (HB20/T) - a 54 voltas
17º - 146 - Robbi Pérez/José Córdova (MRX/P1) - a 54 voltas
18º - 77 - Edras Soares/Esdras Soares/Juarez Soares (Vectra/GT4) - a 62 voltas
19º - 14 - Marconi Abreu/Júnior Victonete/Marcelo Karam (Mercedes/GT4) - a 83 voltas
20º - 151 - Sérgio Pistilli/Denísio Casarini (Spyder/P3) - a 92 voltas
21º - 16 - Esio Vichiese/Alinne Cipriani (Ginetta/GT4) - a 112 voltas

Fotos:Foto: Claudio Kolodziej

F.Dinho Leme Produçoes 

sábado, 22 de dezembro de 2018

OLD STOCK: PEDRO PIMENTA ANDA MAIS FORTE É POLE POSITION PARA ESTE DOMINGO

Pedro Pimenta garante pole position da Old Stock Race em Interlagos
                                                                         
  
Veterano superou Rodrigo Helal por 0s179 para ficar com a posição de honra. Favorito ao título, Rafael Lopes larga em quarto
                                                                           

Pedro Pimenta conquistou na manhã deste sábado (22) a pole position para a primeira corrida da etapa decisiva da temporada 2018 da Old Stock Race, que acontece no Autódromo de Interlagos, em São Paulo (SP). O piloto do Opala numeral 51 obteve logo na primeira volta rápida da sessão classificatória a marca de 2min00s696, garantindo a posição de honra pela terceira vez no ano.

"Estou muito feliz em novamente poder largar na frente na categoria. A equipe me deu um carro bem equilibrado para fazer a classificação, porém, eu tenho que ter os pés no chão e saber que isso não é o bastante para vencer a prova, pois a temperatura da pista está muito quente e o carro frio é muito bom mas piora sensivelmente de uma volta para outra." comentou o piloto da equipe Motorfast.

A segunda colocação no grid ficou com Rodrigo Helal, que com o Opala número 113, acabou 0s179 atrás do tempo obtido pelo pole position. Rodrigo Pimenta, bicampeão da categoria, largará da terceira posição neste domingo e dividirá a segunda fila com Rafael Lopes, principal postulante ao título da temporada. O grupo dos cinco primeiros ainda conta com João Ometto Neto, piloto que pode tirar o título de Lopes.
                                                                          

Daniel Alberici ficou com a sexta posição no grid de largada, completando a terceira fila, enquanto Felipe Matos partirá da sétima colocação. George “Grego” Lemonias colocou seu Opala no oitavo posto na tabela de tempos, ficando logo à frente de Marcos Philippi. A lista dos dez mais velozes da tomada de tempo realizada nesta manhã ainda contou com Luiz Carlos Zappelini.
                                                                            
Pilotos com uma mão no Titulo: J.Ometto e Rafael Lopes 
A etapa final da Old Stock Race será disputada neste domingo (23), e contará com a realização de duas corridas. A primeira tem largada marcada para 11h15, enquanto a segunda tem início previsto para 15h15. Ambas as provas contarão com 12 voltas ou 30 minutos de duração e podem ser acompanhadas pela Rádio Autódromo, através da internet ou pelo app da Rádio, disponível na App Store e Google Play.

Confira como ficou o grid de largada para a última etapa da Old Stock Race:

1º - 51 - Pedro Pimenta - 2min00s696

2º - 113 - Rodrigo Helal - a 0s179

3º - 2 - Rodrigo Pimenta - a 0s673

4º - 54 - Rafael Lopes - a 1s145

5º - 75 - João Ometto Neto - a 1s704

6º - 79 - Daniel Alberici - a 2s236

7º - 93 - Felipe Matos - a 2s277

8º - 18 - George Lemonias - a 2s622

9º - 64 - Marcos Philippi - a 2s638

10º - 87 - José Carlos Zappelini - a 2s838

11º - 16 - Alex Dimas e Dimas Pimenta II - a 3s528

12º - 45 - Daniel Kelemen - a 3s667

13º - 21 - Everson de Paula - a 4s449

14º - 9 - Marco Maragno e Evandro Camargo - a 4s928

15º - 11 - Molly Robson e Tiago Ferreira - a 5s536

16º - 22 - Glaucio Doreto - a 7s774

17º - 31 - Glauco Barros - a 7s896

18º - 5 - Carlos Gomes - a 8s185

19º - 78 - Felipe Lemonias e Fausto Camacho - a 8s898

20º - 77 - Ronaldo "China" Paulino - a 14s652

21º - 10 - Karim Machata Neto - sem tempo

22º - 12 - Fábio Mencarelli - sem tempo

23º - 25 - Jorge Schuback - sem tempo
24º - 23 - Victor Franzoni e Fabio Franzoni -  sem tempo

Serviço:
7ª Etapa Old Stock Race 2018
Autódromo José Carlos Pace
Arquibancada Gratuita:
Acesso pela Av. Interlagos, Portão T/L (em frente à caixa d'água da Sabesp)
Abertura do portão: 7h00
Credenciais de Box R$ 30,00
Carros: 30,00

Foto: Humberto Silva/OSR

F. Imprensa

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

500 KM DE SP: AJR 117 LARGA NA FRENTE COM OS PILOTOS : EMILIO .FERNANDO E HENRIQUE

AJR derruba Lamborghini e garante pole position dos 500 Km de São Paulo - Chevrolet Absoluta 500.
                                                                      
Fernando Fortes pilota protótipo na classificação no Autódromo de Interlagos, e coloca time do carro número 117 na posição de honra para a corrida deste sábado.

O AJR de Emílio Padron, Fernando Fortes e Henrique Assunção conquistou nesta sexta-feira (21) a pole position para os 500 Km de São Paulo – Chevrolet Absoluta 500. Após serem os segundos mais rápidos dos treinos livres, o trio do protótipo número 117 fez o melhor tempo da classificação realizada no Autódromo de Interlagos, em São Paulo (SP), ao cravar 1min31s980 na última volta rápida da tomada de tempos desta tarde.
                                                                          


A dupla enfrentou problemas com o protótipo após um pequeno acidente no segundo treino livre. A equipe conseguiu recuperar o carro, e obteve seu melhor tempo no dia justamente na classificação, com Fortes ao volante do equipamento. O piloto se mostra confiante em um bom resultado para a corrida deste sábado.

“Nós tivemos um problema, pois o Emílio deu uma batidinha em um dos treinos, perdemos algum tempo, mas recuperamos. Nosso carro se tornou confiável durante o ano, com relação a durabilidade. A expectativa é boa, pois brigamos pela ponta da prova. A gente corre junto no Endurance, e em uma prova de longa duração, a gente tem nosso ritmo”, disse Fortes, que ressalta a importância histórica da prova paulista.

“Eu gosto das provas tradicionais. Valorizo muito a história, e estamos concorrendo ao bicampeonato. Eu não consegui correr as 12 Horas de Tarumã, semana passada, mas em 2016 eu ganhei lá e os 500 Km de São Paulo”, completou o piloto, que partirá da posição de honra na prova deste sábado.
                                                                            

A segunda posição ficou com a Lamborghini Huracan de Chico Longo, Victor Franzoni e Marcos Gomes, que depois de liderar os três treinos livres do dia, acabaram batidos em 0s943 pelo time do AJR. O tempo de 1min32s923 garantiu ao trio a pole position da classe GT3. A segunda fila contará com a Mercedes conduzida por Guilherme Figueroa, Ricardo Baptista e Julio Campos, e o Porsche dos atuais vencedores Marcel Visconde, Max Wilson e Ricardo Maurício.
                                                                 


Robbi Pérez e José Córdova partirão da quinta posição com um MRX, e dividirão a terceira fila com Renan Guerra e Arthur Felipe, que partirão do sexto posto geral, além de garantirem a pole position entre os competidores da classe P3, duas posições à frente de Carlos e Yuri Antunes, melhores da classe P2 com um MRX.
                                                                           


Henry Visconde e Tiel de Andrade foram os melhores entre os pilotos que competem na classe GT4, e largarão do décimo posto com um Audi. Já Carlos Vallone, Ricardo Kraft e Edgar Amaral, com um Volkswagen Gol, partem da posição de honra entre os concorrentes da classe T.
                                                                     

A edição número 34 dos 500 Km de São Paulo – Chevrolet Absoluta 500 está marcada para este sábado (22), a partir das 16h10. A corrida terá transmissão ao vivo do canal do “Programa Ultrapassagem” no YouTube.

Veja como ficou o grid de largada para os 500 Km de São Paulo – Chevrolet Absoluta 500:

1º - 117 - Emílio Padron/Fernando Fortes/Henrique Assunção (AJR/P1) - 1min31s980
2º - 19 - Chico Longo/Victor Franzoni/Marcos Gomes (Lamborghini/GT3) - 1min32s923
3º - 8 - Guilherme Figueroa/Ricardo Baptista/Julio Campos (Mercedes/GT3) - 1min33s746
4º - 70 - Marcel Visconde/Max Wilson/Ricardo Maurício (Porsche/GT3) - 1min35s008
5º - 146 - Robbi Pérez/José Córdova (MRX/P1) - 1min41s889
6º - 15 - Renan Guerra/Arthur Felipe (JR/P3) - 1min42s156
7º - 151 - Sérgio Pistilli/Denísio Casarini (Spyder/P3) - 1min42s156
8º - 72 - Carlos Antunes/Yuri Antunes (MRX/P2) - 1min43s258
9º - 25 - Ney Faustini/Edras Soares (Vectra/P1) - 1min43s842
10º - 64 - Henry Visconde/Tiel de Andrade (Audi/GT4) - 1min45s756
11º - 13 - Alexandre Zaninotto/Leandro Guerra (Spyder/P3) - 1min47s690
12º - 77 - Edras Soares/Esdras Soares/Juarez Soares (Vectra/GT4) - 1min49s674
13º - 7 - Paulo Sousa/Mauro Kern (BMW/GT4) - 1min49s753
14º - 125 - Paulo Plutarcho/Davi Plutarcho/Saúva (Spyder/P3) - 1min52s117
15º - 66 - Luc Monteiro/José Vilela (Spyder/P3) - 1min59s756
16º - 222 - Carlos Vallone/Ricardo Kraft/Edgar Amaral (Gol/T) - 2min00s029
17º - 74 - Eduardo Colamarino/Luiz Abbade (Spyder/P3) - 2min00s586
18º - 113 - Ricardo Cimatti/Tiago Regis/Rogério Dudu (Sandero/T) - 2min14s285
19º - 22 - Erick Grosso/Fernando Kfouri/Djalma Fogaça (Alfa Romeo/T) – 5min11s330

Programação dos 500 Km de São Paulo – Chevrolet Absoluta 500

Sábado - 22 de dezembro
Warm Up - 15h às 15h15
Largada Le Mans - 15h20 às 15h45
Largada Chevrolet Absoluta 500 – 16h20

Foto: Claudio Kolodziej

Fonte : Dinho Leme (Comunicação )